sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Querida Seja Compreensivel

as vezes quando estou aqui na verdade estou lá
e quando estou lá na verdade estou aqui

domingo, 29 de novembro de 2015

Eles Sumiram!

acordei agora pouco
um tanto perdido
afinal, aonde foram parar
os anos 90?


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

 após todos saírem
o silêncio se estabeleceu
fiquei aliviado

Cozinha

amor por favor
tire um pouco
de mágoa
e leve ao forno



terça-feira, 15 de setembro de 2015

Ponto Cego

entre os olhos
não vejo

sábado, 15 de agosto de 2015

Rota alternativa

a travessia foi feita
por debaixo da mesa
as vozes de cima pareciam sair dos pitorescos sapatos
julia saiu do outro lado
ao invés de se debruçar
nas pernas de sua mãe
ela preferiu correr livremente
entre as mesas do restaurante vazio.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Um Erro!

depois de trinta e dois anos
eu me arrisquei a andar
de bicicleta sem as duas mãos
por pouco não morri

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Olho de água

de repente
a poça
me empresta
o seu olhar

reflexo emoldura
o céu
e protagoniza
o sofrimento
de uma árvore
que tinha passado
desapercebida

sábado, 30 de maio de 2015

o que existe aqui
é uma tranquilidade
tão tranquila
que qualquer eventualidade
é um susto.







segunda-feira, 16 de março de 2015

Afogado em Açúcar

fundue seguia normal
até o morango mal espetado
se soltar do espeto
e se perder para sempre

as buscas duraram cinco segundos
as vezes me sinto como esse morango
esquecido no fundo da panelinha 
completamente submerso em chocolate

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

no meio daquela
explosão de nuvens
surge um avião

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Aéreo

de repente na minha frente
aparece uma cidade de nuvens
algumas parecem gigantes espumas de leite
que poderiam estar no meu café
outras poderiam ser castelos encantados
habitados por desenhos animados.

adivinhando o meu desejo secreto
o avião se aproxima delas e se arrisca
atravessando as nuvens fofas
com o mesmo prazer que um mosquito
teria em mergulhar num algodão doce

dentro da nuvem o avião balança
e essa turbulência lúdica me relembra,
o pavor que tenho de voar de avião




segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Monstro?

um dos maiores sustos da minha infância
foi ver pela primeira vez a minha mãe saindo do banho 
com uma toalha enrolada no corpo e outra no cabelo

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

foi pálida

você se foi
virou personagem histórico
que não conheci
folclore que encontrei num carnaval

confetes, máscaras e a carapuça
era outra. frígida, uma cantora reprimida
que cantava lírico  nas entrelinhas
e levantava  os pelos do meu braço


domingo, 25 de janeiro de 2015

A Caminho

e o suspense
escorre pelos pés
passos sobre passos
não é mais possível conter
a correria de um sorriso
que mergulha de braços abertos
num pré abraço
um segundo antes de acontecer