domingo, 30 de agosto de 2009

Coisas de Praia.

pés na areia
canga esticada
bundas se mechem
buracos cavados
conversas de ontem
água gelada
biquini apertado
corpos malhados
pessoas molhadas
barraca na sombra
cheiro de protetor
crianças correndo
biscoito oglobo
chinelo interrado
celular sem sinal
barulho de praia
ondas salgadas
hora de ir embora
areia grudada
toalha batida
almoço combinado

Era uma Vez na República.

lá vive uma senhora contadora de histórias
olhos verdes, cabelos loiros
e um coração que cabe mais gente que copacabana.

na mesma casa, mora um menino que vive sem camisa
ele carrega seu violão para todos os cantos
dono de uma bondade jamais vista.


no último quarto dorme uma baixinha de personalidade
sempre antes de dormir, pedia ajuda para fazer a cama
era gostoso acordar ela com beijinhos e ver seu olho abrir pequeninho.


sinto saudades dos fins de semana no sétimo andar.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Eu vi.

um céu mesclado
de água e sol
derramava
sobre a praça
uma luz
mais brilhante

domingo, 23 de agosto de 2009

Encontro com Silvia.

fiquei surpreso em observar
tamanha mudança sofrida por ela;
escondia sua frustração
atrás de uma roupa preta;
a maquiagem deixou seu rosto pesado;
envolvida por uma energia carregada
silvia se perdeu em trajes emocionais.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Vento Ventania.

ele havia acabado de sentar
numa mesa na calçada,
em plena ataulfo de paiva.

surgiu um vento bagunceiro
carregando guardanapos
para fora da cafeteria.

seu sopro trouxe o frio;
ele tentava fechar a jaqueta
enquanto o vento bagunçava seu cabelo.

quando a ventania foi embora,
ficou sozinho na calçada
mexendo seu café com leite frio.

domingo, 16 de agosto de 2009

Azia X Gula.

insiste em aparecer
sem avisar
cisma em condenar
a refeição perfeita
nem a água é capaz
de apagar a queimação;
horas a fio de desconforto
a culpa é da gula
movida pelos olhos graúdos
e uma vontade instantânea
da repetição do prazer.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Bairro da Glória.

daqui dá para ver
cinco pistas cobertas de sol
com centenas de vidas engarrafadas;
vendo de cima, árvores parecem nuvens verdes;
no fundo de tudo isso, uma praia inofensiva
onde barquinhos flutuavam sobre águas mornas;
do outro lado, prédios antigos compõem o visual;
depois de um minuto, virei de costas e ignorei tudo isso.

domingo, 9 de agosto de 2009

Banho Recente.

dedos deslizam
no vidro embaçado
deixando palavras
a desmanchar.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Abraço Partido.

olhos da janela
viam a rua cinzenta
rompida por um sinal;
ela acenou para o homem;
meio sem jeito,
ele repetiu o gesto;
os dois se aproximaram
como ima e ferro;
ela abriu os braços
para recebê-lo
com abraços apertados;
queria que durasse para sempre.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Desastre Natural

aperta a barriga;
ausência da bainha
faz tropeçar no pano;
meia encolhe nos pés;
haste afrouxada
resulta na queda;
óculos escuros arranhado
de tanto cair.

domingo, 2 de agosto de 2009

Coisa de Criança.

dedos brincavam
com o interruptor;
música alta;
quarto virou boate;
pista de uma criança
que dançava no espelho
enquanto a luz piscava.