quinta-feira, 23 de abril de 2009

Acorda!

sempre atrasado para chegar em algum lugar;
seus cadarços viviam desamarrados;
de novo saiu sem se barbear
brisa deixou-o despenteado;

assim chegou ao trabalho
impaciente,ansioso, irritado e desarrumado;
olhou e-mails e deu telefonemas
interrompeu a tarde para um café;

aquecia as mãos na xícara
enquanto,saboreava um expresso;
pernas cruzadas com postura curvada
viajava em pensamentos dispersos;

resolveu fazer diferente;
saiu da cafeteria sem pressa para chegar;
esqueceu do tempo e enxergou outra rua;
respirou cheiros novos e percebeu que precisava mudar.

sábado, 18 de abril de 2009

Bom dia do Sol.

Dia amanhece com raios ultravioletas entrando pela janela
cama de casal se transforma em uma piscina de sol
corpo coberto de luz, faz as gotas de suor passearem por suas costas
a sensação de desconforto aumenta quando a claridade atinge as retinas
ele rola na cama, muda de posição, tenta proteger os olhos
procura um canto sem luz, mas sua busca pelo conforto foi em vão
o ventilador não ameniza o clima abafado
irritado ele levanta e vai para o chuveiro

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Na

na espera que o contrário se encontre
na vontade de dois títulos se juntarem
na lua sem saber amei você
na verdade, a ausência perturba
na memória guardo uma linda lembrança

domingo, 12 de abril de 2009

Lua.

capaz de ser vista por bilhões de pessoas
e mesmo assim, a sua volta
só existe um céu de solidão

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Meteorologia Natural.

tarde escura de céu nublado
na sala de estar o único som que se ouvia
era o da cigarra que anunciava o calor de amanhã

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Quatro Estações.

outono devastador;
tudo ficou seco;
amor sem energia
parou de respirar;
o inverno congelou
e matou o real sentimento
que uniam os dois cegos;
a substituição de afeto
não suportou o gélido vazio temporal
a primavera chegou com novo ar;
um frescor romântico e fantasioso;
queijos e vinhos em cima da mesa no jardim;
tudo parecia enfeitiçado pela magia da estação;
de repente, os olhos se abriram sobre a mentira;
porre, o único momento sóbrio;
parecia estar adormecido por meses;
no meio das flores se via
transbordando de saudades;
o verão fervia as lembranças;
acordou com o sol no rosto
chorava com o suor do corpo;
queimando a monotonia resolveu procurar a ceguinha;
quando o reencontro aconteceu;
descobriu que a sua ceguinha faleceu.