segunda-feira, 30 de abril de 2018

tenho certeza que dentro daquela nuvem
esqueceram um abajur ligado

domingo, 15 de abril de 2018

não se encontra

acho que aquele cara não existe mais
já procurei por todo canto, vasculhei tudo aqui, dentro de mim
e nessa busca achei outras coisas
acabei me distraindo com o esquecido e esqueci
do que procurava. acomodei-me na confusão
da não lembrança
definitivamente, para minha tristeza
ele não existe mais

sexta-feira, 2 de março de 2018

Para Meus Bisnetos


hoje, dia vinte e oito de fevereiro de dois mil e dezoito,
ainda sou jovem, não sou avô,  muito menos bisavô,
mas quero já deixar escrito uma mensagem para vocês.

fico imaginando se o meu bisavô, que eu nunca conheci, tivesse escrito um texto para seus bisnetos.
Com certeza eu acharia isso estranho, mas pelo menos eu saberia algo sobre ele.

Eu queria começar dizendo que sou brasileiro bisnetos, pode parecer meio óbvio eu escrever isso, mas vai saber o que vocês vão ser, afinal, meu pai é argentino, minha vó nasceu na ucrânia e atualmente eu moro em portugal, ou seja, tudo pode acontecer!  Por essa perspectiva, vocês podem ser vietnamitas, filipinos, italianos, portugueses, argentinos, canadenses, ou até brasileiros, vai saber.

Preciso compartilhar com vocês que vivi em dois mundos: o com internet e o sem. Sou da geração híbrida, sou do tempo do computador 386, do atari e do top game, da tv de tubo de 14 polegadas, do vídeo laser, do cd, já esperei a música tocar na rádio para poder gravar com a fita e para encerrar, já  achei o disquete moderno, FIM.

Brinquei de stop, queimado, pique esconde, joguei muito futebol na garagem, tive uma chuteira kichute, mas sempre tive bom senso de nunca amarrar os laços na canela. A vida inteira achei o  bambolê tão ridículo quanto a pochete.

Bom queridos, falando de jovem para jovem. O mundo aqui é bem louco. De Portugal acompanho os acontecimentos no Brasil e no mundo. O presidente dos Estados Unidos está à beira de uma guerra sem sentido com outro louco que é o ditador norte coreano.  Enquanto isso o brasil vive uma crise política inimaginável. Governadores na cadeia, dezenas de milhares desempregados, uma vulnerabilidade tão grande que permitiu o surgimento de um candidato à presidente com os pensamentos mais retrógrados possíveis.  Mas não quero entrar nessas questões.

Nos tempos de hoje de 2018, cuido da minha filha Julia, de cinco anos.  Ela é maravilhosa, autêntica, não é porque sou pai dela não, mas ela é incrível. Vocês vão conhecer ela já velhinha, no papel de avó. Do jeito que a tecnologia está louca, talvez em 2100 já seja possível escrever uma carta para os mortos, aí por favor me escrevam sobre como ela vai estar.

Por aqui gastamos o tempo vendo séries do Netflix, filmes do Woody Allen e do Tarantino, por sinal recomendo esses dois caras. Bisnetos. ouvimos de tudo desde Miles Davis até cartola. Dançamos funk na balada e vamos até o chão. Dançar nunca foi meu forte, para falar a verdade sou meio desengonçado, mas completamente sem vergonha, não to nem aí, danço mesmo.

Vou falar um pouco de mim também. Nasci no Rio de Janeiro e morei em praticamente todos os bairros da zona sul: botafogo, leblon, jardim botânico, gávea, são conrado. Todos maravilhosos, mas construí um carinho especial por botafogo. Botafogo foi o bairro da minha infância.

Morei na Voluntários da Pátria 139, apartamento 304, casa da vovó. Sim, quando meus pais se separaram, acho que foi em 87, eu e a minha irmã Maria fomos morar com a minha mãe na casa da vovó Wanda e da bivó Maria. Apartamento antigo com tudo que tem direito, rodapés, quartos bem amplos, pé direito alto,  enfim. Fui muito feliz nesse bairro porque cresci ali cercado de amigos do prédio e carinho da  avó  e da mãe.

O tempo passou, me formei e depois virei gente. Na época eu resolvi viajar para maceió sozinho, quem viaja sozinho? E ainda mais para Maceió? Resumindo, eu fui. Conheci praias maravilhosas e ainda, de quebra, o amor da minha vida, sua bisa Giulianna Aquarone. Que mulher!

Ela morava em São Paulo e eu no Rio, mas como meu trabalho eu podia fazer da onde quisesse, e ela era empresária, ficávamos alternando: um fim de semana ela vinha para o Rio, no outro eu ia para Sampa. no final das contas, São Paulo ganhou e eu acabei descobrindo que existe amor em SP.

Mas antes disso, ainda deu tempo de eu lançar meu primeiro livro de poesias. Fiz uma tiragem pequena de 200 unidades. Espero que um dia eu seja um escritor renomado e esses 200 livros sejam objetos de colecionadores. Que sonho pretensioso Luis Sapir! Desculpa, esse é o meu id discutindo com o meu superego.

Voltando a falar sobre o meu encontro com a mulher da minha vida.  Nos conhecemos em 2010 e logo nos embalamos num romance intenso. Havíamos virado aquele modelo de casal,  cinema, pipoca, jantares em restaurantes, viagens e claro muito amor.

Enfim decidimos nos casar, estávamos eufóricos, reservamos uma casa de festas, contratamos uma assessora de casamento, mas com certeza não contávamos com a ideia que sete meses antes do casamento estaríamos grávidos. mudanças de plano, esquece o casamento, eu vou ser pai porra! Que sensação maravilhosa!

Nove meses depois vocês já sabem, nascia a vovó Julia. A família inteira se reuniu na maternidade... meus pais, tios, primos e a família da minha mulher, uma loucura só. Entramos naquela fase de acordar de madrugada para colocar o bebê para mamar, fazer dormir, acordar de novo e assim foram passando os meses, as coisas foram se acalmando e a Julia foi crescendo até chegar onde está hoje.

Dois anos depois decidimos retomar a ideia do casamento. Foi aí que no dia vinte e quatro de setembro de dois e dezesseis, casamos. com direito a big party e a Julia entrando como daminha na cerimônia segurando uma placa com a grade "ainda bem que vocês me esperaram para a festa"... que lindo desfecho!

Passamos a lua de mel em Portugal já com a ideia de tirar uma pulga atrás da orelha que ficamos um ano antes, durante uma trip pela Europa. Ficamos na ocasião com muita vontade de morar em Portugal. a lua de mel só reforçou mais ainda essa vontade. Resumindo o andar da carruagem, mais um ano se passou e advinha aonde estávamos morando? sim em portugal.

Então bisnetos, que conselhos posso dar a vocês? Do alto da minha simplicidade, um puta paradoxo, porque simplicidade não tem alto e nem baixo. Agora sério, o que posso passar de sabedoria para vocês são algumas coisas: façam o bem, façam amor, sejam honestos e sejam felizes!

PS: não esqueçam de ver os filmes do Woody Allen e do Tarantino.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

subindo

a primeira revelação do dia acontece de manhã
no momento em que subo a persiana
segundos antes, aquela especulação ainda na cama
amor será que ta sol, ai vida não sei.

enfim, abro lentamente a persiana
me dá uma sensação de "senhoras e senhores,
com vocês o céu"


sábado, 17 de fevereiro de 2018

No Content

Humanos
Por
Que
Perdem
Tanto
Tempo
No
Sofá
?

Sinto
-lhes
Informar
Que
Não
Tem
Nada
Dentro
Das
Tvs

Bizarro

Estou aqui
Assistindo
Pego o celular
Para filmar
E transmuto
Minha permanência
Para outro lugar
Perco o presente
Sem perceber

Migro do mundo real
Para sei lá aonde
Numa tentativa de eternizar
O que não vivi
E ainda fico feliz de compartilhar
Esse fragmento de mentira

Bizarro

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Zoom


há muitos anos, sem querer,
estou operando em zoom, apenas focalizado
no que está a minha volta

a falta de convívio
me trouxe o não saber,
o longe

histórias são contadas
por quem está de perto
e eu fico flutuando
em preocupações, talvez
de algo que não exista mais

o tempo enaltece a minha incapacidade
de acompanhar o que se foi
involuntariamente acabo novamente,
dando zoom no aqui.