sábado, 30 de maio de 2009

Poesia de bolso

pedi uma coca;
ouvia piaf no mp3;
rabiscava a folha
com o lápis de cera;
frases soltas no papel
sem perceber comecei
a escrever uma poesia;
com linhas tortas;
letras borradas;
a banana split chegou;
três bolas de sorvete
caldas e uma cereja vermelha;
jogo americano de papel rasgado;
botei a poesia no bolso
e fui para casa.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

29/05

fiquei preso no trânsito
tempo suficiente para perder
a paciência do cotidiano;
no trabalho, eu ouvia
as vozes das pessoas
se misturando provocando
um som embolado o suficiente
para embaralhar a minha enxaqueca;
quando o relógio marcou seis e trinta
não se ouvia mais barulho;
fiquei absolutamente perdido.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

A Luz de Velas.

não havia luz;
andava pela casa
com uma vela
presa a um prato
repousou-a na cabaceira;
deitou na cama;
pegou o livro;
leu algumas páginas;
quando sentiu
a presença do sono
largou o livro
assoprou a vela
e se cobriu.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Banho de Água Fria.

pé corajoso se posicionou
embaixo do chuveiro frio
o restante do corpo torto
aguardava com calafrios
nada da água esquentar
estava em tremedeiras
não havia escolha
além de um banho
de água fria.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Childhood.

ao colocar a jaqueta,
a pobre criança se atrapalhou;
seu braço esquerdo se perdeu
em meio ao tecido do casaco;
vento barulhento balançava árvores;
as folhas amareladas flutuavam
para dentro da sala;
ele desceu as escadas apressado;
saiu correndo deixando a porta escancarada.

Uma Garfada.

mão gordinha
segura garfo;
garfo espeta
a carne;
carne ve
uma boca;
boca mostra
os dentes;
dentes mastigam
o alimento;

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Esferografia falha.

seu traçado
não é mais
o mesmo!
foi difícil
completar a frase.
a caneta vermelha
está morrendo.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Linha 179.

irritado ele dirigia
com agressividade.
freadas contínuas
assustavam passageiros;
vidros trememeram;
cabelo da feia mulher
balançava sem cadência;
pessoas em pé
se equilibravam;
sinal ficou vermelho;
o ônibus parou;
passageiros respiraram;
vidro parou tremer;
aquele cabelo feio
não voou mais;
quando o sinal
ficou verde,
tudo começou de novo.

domingo, 10 de maio de 2009

Wanda.

todo dia ela acordava
as cinco da manhã
para comprar pão.

quando todos levantavam,
a mesa já estava posta e
ela já estava lendo o jornal.

fazia palavras cruzadas
os netos a interrompiam
para abraços e beijinhos.

as crianças ficavam
super atentas quando
wanda contava suas histórias;

uma senhora divertida
de humor e caráter raro;
um doce de pessoa.

aos sábados ia a feira
comprar frutas, legumes e peixe
para o almoço.

todo sábado tinha peixe frito;
seus filhos se reuniam para cozinhar;
enquanto,os netos faziam bagunça livremente.

sua especialidade
eram os biscoitos de granola
ninguém fazia como ela.

Ressaca.

exausto, me sentia afundado
na rotina do trabalho;
o corpo fedia a bebida e cigarros;
cotovelos apoiados na mesa;
mãos inquietas esfregam
os olhos avermelhados;
noite virada no vazio
de uma embriagada madrugada
em bares malditos que não fechavam;
destruído, esqueci o cansaço
tomando um balde de café e
voltando para o trabalho.

Game Over.

estava me corroendo.
não podia mais esperar.
eu precisava contar.
a verdade foi dita


o silêncio foi a reação.



ficou um vazio assustador



exposição necessária
coragem foi um ato nobre
fico feliz por ter dito
de arrependimento não morro

game over.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Janela do Carro.

toda vez eu aprecio
da janela do carro
um quadro com moldura.
sem uma pintura fixa

outro dia meus olhos capturaram
a arte sem intenção de ser
o quadro em movimento,
um filme sem película

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Flexão.

suspiro, só, sozinho sem sombra;
nada nem ninguém, na noite
faz frio, fico flutuando firmemente;
procurando, pensando palavras perfeitas para
você voltar, vislumbro várias vezes
melodias melhores, modernas, mastigando medos
bobos; bestificado, brindarei bebendo bastante
água ardente até adormecer ausência;
esquecendo esta energia, encontrarei ela
deitada, dentro da desordem do
sonho nítido, fumando prazer violento;
maravilhoso beijo, ardia enquanto dormia.