sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Cego.


rotina automática
preenchida com pensamentos
não observo o caminho,
apenas vejo
essa correria proporciona
uma visão limitada,
sem foco,
um recorte de realidade
substituído por outro,
 assim sucessivamente,
a visão não acumula.

despertar para esse conceito
só me faz beirar a  loucura
por mais que queira ver tudo
uma ansiedade corre por dentro
e o acaso rouba a atenção
me tornando novamente cego.







segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Miopia e Astigmatismo.


tropeço é o despertar
para o desequilíbrio.
no meu caso,
uma constatação
de que ainda
não me adaptei
ao uso de óculos

parece que minha visão
ficou em hd,
e justamente
essa nova relação
com a imagem
acabou aumentando
minha distração crônica.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Recreio.


dez e meia em ponto toca o sino,
hora do recreio

corremos até a quadra para o momento mais importante do dia
a partida de futebol.

enquanto isso, outras crianças devoram cheese burgers
E tomam coca-cola.

de repente, a campainha toca novamente. voltamos para sala de aula sujos, com camisas molhadas de suor. Incrivelmente despreocupados com nosso estado
mas extremamente felizes.



segunda-feira, 27 de agosto de 2012

O Som Chegou Depois

balde d'água
derrama
no  chão

no ar,
cores correm
em um segundo


em seguida,
desaparecem
para sempre.

Grávidos



todo dia tem sobremesa,
soneca à tarde
e humor violino
à flor da pele

ainda falta pouco
mais de cinco meses
para julia sair.

barriga vai crescendo
e eu sigo sem ideia
de como ser pai.

sábado, 25 de agosto de 2012

Encantada.

aceito sua imaturidade
busco uma brecha nos seus olhos
espero por uma expressão nova
quando isso acontece,
invariavelmente,
me surpreendo.













domingo, 29 de julho de 2012

Resto de Ontem

me envolvo no cobertor
e projeto metas incumpríveis.
vou esculpindo a maçã
com mordidas ocasionais

um misto de preguiça e ressaca
toma conta do sábado frio
iluminado suavemente pelo sol
instalado no chão logo abaixo da janela.

silêncio amplia o tamanho da sala
o resto de ontem ainda está aqui
cinzeiros preenchidos de cinzas
taças manchadas com o resto de vinho

e assim segue a manhã
lenta e preguiçosa.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Wanda!!!

aproveite o dia. bote uma roupa de ficar em casa e, despretensiosamente, ao ouvir uma música alheia, dance. invente uma receita, faça biscoitos, leia um livro à tarde, convoque uma reunião extraordinária de condomínio, mesmo sem ser síndico. sugira coisas boas para todos. escreva um poema num caderno velho, conte histórias ao seus amigos, filhos ou netos. veja um filme ou, simplesmente, tome um caldo verde. se você não puder fazer nada disso, apenas faça um gesto de bondade para o mundo.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

único ator.

prédio espelhado
me dá um novo
ponto de vista
do céu anuventado

estou sentado tomando café
na calçada numa mesinha
com vista para faria lima

todo tipo de gente passa por aqui
parece que minha vida
está cheia de figurantes
protagonistas de si mesmo

Perecível

verdades refeitas
realinham todo conceito,
tranformando o convencional
numa espécie de versão 2.0.

recrio objetivos,
guardo pessoas no baú,
talvez um dia reencontre com uma delas
seja no acaso ou em lembrança.

o tempo me mostra
que tudo escapa
e a realidade se desmancha
em novas formas

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Exílio

alguns artistas passaram por isso. geralmente em paris, londres, nova iorque, berlin, são paulo. são paulo?
pois é, foi o que deu para o momento. afinal, não sou um chico e nem um caetano.

sou vendedor, poeta e quase casado. vendedor e poeta uma contradiçao interesante e confusa.

atualmente vivo exilado em moema, cercado de ruas indígenas. minha tribo fica na alameda dos tupiniquins, sou vizinho dos aratãs e dos ailcás.

aqui as tribos são contemporâneas. vivemos em prédios de trinta andares, nos acostumamos com aviões cortando o céu a cada quinze minutos. o carro é um anexo do corpo. sem ele somos cadeirantes.

amo essa cidade mas meu coração é carioca.

terça-feira, 13 de março de 2012

Cenário.

do carro
era possível
se impressionar
com a nuvem amarela
das cinco e meia
por pouco não bati.

segunda-feira, 12 de março de 2012

A Olhos de uma Criança

há vinte cinco anos atrás
neves trabalhava lá em casa
ela servia o almoço e dizia:
"quem come cantando morre gritando"
nunca mais comi cantando.

durante as refeiçoes meu pai dizia:
" não beba nada enquanto você come porque você vai inchar"
na época, eu que já era gordinho, não me atrevi a beber e me imaginei inflando feito desenho animado.

odiava mate, mas um dia ele me disse que era o chá do pateta. Tomei o mate, continuei não gostando do sabor, mas senti algo especial.

nessa fase da vida,
a imaginação voava sem senso
ingenuidade a parte
assim vivia,
flutuando em histórias
mesclando o real com o lúdico.

sábado, 10 de março de 2012

...

uma mão segura o telefone
a outra pinta unhas
cheiro de esmalte
invade minha leitura.

revista de casamento sobre a cama
travessa de gelatina devorada
entrega a ansiedade de uma noiva em chamas.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Pode Parecer Estranho

apesar de utilizar a todo momento
confesso,
eu não confio 100%
no espelho retrovisor

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Sampa.

gps diz que faltam cem metros
no meio da avenida não me conformo
e de repente, uma ilha de concreto
fantasia do corporativo

trânsito aqui é referência mundial
carros se arrastam na marginal
estou no meio de tantas pessoas
aprisionadas em seus carros
e mesmo assim, me isolo
na minha cápsula com direção hidráulica

aqui ônibus são sanfonados,
esquinas contadas
e a chuva é diária
geralmente, ela chega às cinco

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Desvio

tem pensamentos que perfuram minha casca
me contaminando de inquietações
quando isso ocorre,
crio uma atmosfera própria
e me isolo nela.

coloco um som bem alto
começo a dançar e esqueço da órbita
atravesso padrões numa liberdade íntima
que se solta aos poucos.

meus ouvidos sorriem alimentados
e por fim, me deixo levar pela melodia.
sou transportado para outros tempos
alguns vividos outros inventados.

ficção ganha vida e trilha
num período onde corpo e alma se conectam
deixando sentimentos aflorarem.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Ontem.

hoje sou azia
mágoa de ressaca
e uma vaga lembrança
de ontem à noite.