segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Sampa.

gps diz que faltam cem metros
no meio da avenida não me conformo
e de repente, uma ilha de concreto
fantasia do corporativo

trânsito aqui é referência mundial
carros se arrastam na marginal
estou no meio de tantas pessoas
aprisionadas em seus carros
e mesmo assim, me isolo
na minha cápsula com direção hidráulica

aqui ônibus são sanfonados,
esquinas contadas
e a chuva é diária
geralmente, ela chega às cinco

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Desvio

tem pensamentos que perfuram minha casca
me contaminando de inquietações
quando isso ocorre,
crio uma atmosfera própria
e me isolo nela.

coloco um som bem alto
começo a dançar e esqueço da órbita
atravesso padrões numa liberdade íntima
que se solta aos poucos.

meus ouvidos sorriem alimentados
e por fim, me deixo levar pela melodia.
sou transportado para outros tempos
alguns vividos outros inventados.

ficção ganha vida e trilha
num período onde corpo e alma se conectam
deixando sentimentos aflorarem.