quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Aéreo

de repente na minha frente
aparece uma cidade de nuvens
algumas parecem gigantes espumas de leite
que poderiam estar no meu café
outras poderiam ser castelos encantados
habitados por desenhos animados.

adivinhando o meu desejo secreto
o avião se aproxima delas e se arrisca
atravessando as nuvens fofas
com o mesmo prazer que um mosquito
teria em mergulhar num algodão doce

dentro da nuvem o avião balança
e essa turbulência lúdica me relembra,
o pavor que tenho de voar de avião




Nenhum comentário:

Postar um comentário