segunda-feira, 2 de abril de 2012

Exílio

alguns artistas passaram por isso. geralmente em paris, londres, nova iorque, berlin, são paulo. são paulo?
pois é, foi o que deu para o momento. afinal, não sou um chico e nem um caetano.

sou vendedor, poeta e quase casado. vendedor e poeta uma contradiçao interesante e confusa.

atualmente vivo exilado em moema, cercado de ruas indígenas. minha tribo fica na alameda dos tupiniquins, sou vizinho dos aratãs e dos ailcás.

aqui as tribos são contemporâneas. vivemos em prédios de trinta andares, nos acostumamos com aviões cortando o céu a cada quinze minutos. o carro é um anexo do corpo. sem ele somos cadeirantes.

amo essa cidade mas meu coração é carioca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário