quinta-feira, 28 de maio de 2009

A Luz de Velas.

não havia luz;
andava pela casa
com uma vela
presa a um prato
repousou-a na cabaceira;
deitou na cama;
pegou o livro;
leu algumas páginas;
quando sentiu
a presença do sono
largou o livro
assoprou a vela
e se cobriu.

22 comentários:

  1. seus poemas são bem naturais e cotidianos!!!
    pelo menos na minha percepção me deixam com um gostinho de que eu posso completar mil e uma histórias com ele sempre. são coisas simples e sutis da vida que você trasforma em arte parabens!!!

    eapero sua visita!!!

    ResponderExcluir
  2. É a primeira vez que não encontro sentindo em um poema seu, parece que está fatando alguma coisa.

    ResponderExcluir
  3. Hummmm...belo poema, bem direto (eu achei). Parabéns!^^

    ResponderExcluir
  4. Gosto do cotidiano dos seus escritos. Para observar o que não se observa mais.

    ResponderExcluir
  5. cotidiano, coisas normais que acontecem... um poema super natural que poderia ser feito no momento que tu tá sem nada pra fazer..


    gosto da tua simplicidade :D

    ResponderExcluir
  6. simples, mas bem feito...

    www.skiba.com.br

    ResponderExcluir
  7. Velho.
    Simples até d+.
    É incrivel como a ártir de coisas simples podemos viajar.
    Eu consegui encaixar diversos contextos nessas suas palavras. Mas acabei dando um boa noite pra pessoa.
    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Quando a luz acaba... É o momento de encontrarmos com o nosso "eu". Problemas, pensamentos que ficaram dispersos durante o dia e protelados por causa da tv, do rádio, do computador, ressurgem em nossas mentes claros e nítidos e para fugir do "eu" nada melhor que o amigo livro que nos faz viajar para outra dimensão e nos leva para os braços de "Morfeu".
    Assim que interpretei seu poema.
    Bj

    ResponderExcluir
  9. o que achei mais interessante é a interação entre os dois últimos poemas, ambos podendo descrever a falta de luz.

    Interpretar poema é difícil rapaz. O certo mesmo é ler e apreciar. Guardar qualquer recado que houver entendido para si... penso assim!

    abs e parabéns pelas palavras!

    ResponderExcluir
  10. éééé....
    o importante é saber se é um fato cotidiano a leitura a luz de velas ou se era pura falta d energia mesmo .
    dps pro cheiro de fumacinha de vela sair do quarto leva tanto tmpo q dá pra perder o sono [sim jah ocorreu isso comigo] mas não estava lendo...estava ouvindo musik e desenhando. ..


    parabens pelo blog.
    primeira vez aki
    espero voltar mais vezes.sucesso.
    abraço e bom fds.
    humor, imprestação de desserviço e diver.são coisas que devemos ter como seguimento ideológico.
    sendo assim, seja bem vind no:

    www.bagageirodocurioso.spaceblog.com.br

    ResponderExcluir
  11. Lindos poemas...
    Posso dar uma sugestão? Você podeia por um template que levase o navegante ao mundo dos poemas, algo que não seja apenas um fundo branco!
    Ta ai a dica!
    Abraço e sucesso!!!

    ResponderExcluir
  12. Simples e ótima narrativa!! Muito bom parabéns! Concordo com a dica acima, o texto é o essencial, mas é bom ser convidativo também... ;)
    www.tocou.blogspot.com - o que toca o coração
    www.raianareis.blogspot.com - poesias, textos

    ResponderExcluir
  13. sim sim... o cotidiano eh cansativo porem se parar pra obreservar tem muito a dizer pekenos gestos, coisas simples que nao percebemos em algume ou em nos mesmos...

    parabens bem interpretativo e simples porem muito charmoso...

    beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi Lufa, pelo grande respeito que tenho pelos blogueiros. Eu queria que você lesse o meu post que fala quando consigo provar que ele (Arlindo) me plagiou). Eu sei que pode parecer meio infantil entrar em choque desse jeito que estou fazendo, mas acredito que assim podemos acabar realmente com plágios, que podem ser poucos mas devem ser combatidos em nossa blogosfera ou em qualquer esfera.

    O plágio que refiro é só de um nome. Mesma coisa que pegasse o Habbibs e criasse um Dabbibs que vende esfiha, em nenhum momento acho que ele me copiou por indicar. Se ele indicasse podia continuar assim, mas copiar um nome, isso é sério demais, pode nao parecer pra alguns.

    Obrigado, e desculpa pelo desabafo, estou tomando providências para ser melhor entendido!

    ResponderExcluir
  15. Com relação a seu blog, eu já tinha visitado e gosto de ver alguns poemas feitos por poetas de verdade como vc me parece.

    Gosto dos poemas simples e curtos e que podem dizer muito. Nesse seu último eu troco a vela pela lâmpada do abajur, e log vou dormir qdo começo a ler a noite!


    Sucesso ai!

    ResponderExcluir
  16. Retado. me vi no poema. Escondendo os sonhos debaixo da cama, escurecendo o quarto para que lhe sobrasse sono.

    Muito bom. Me visite!

    ResponderExcluir
  17. poema curto mas pensativo... nos faz refletir sim, todos poemas devem ser bem interpretados, um abraço.

    ResponderExcluir
  18. Isso me faz quebrar a cabeça sabia...

    ResponderExcluir
  19. Que lindo, adorei .
    Beijinhos de Rozangela Melo
    Se quiser retribuir a visita, fique à vontade…
    Fazemos cinema amador
    Visite nossso blog
    http://www.cgfilmpictures.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Adorei... chega a ser aconchegante.
    Um abraço...

    Tina


    www.porqueaalegriamefazbem@blogspot.com

    ResponderExcluir